Relações com Investidores

Fatores de risco

Gerenciamento de riscos

  • O gerenciamento de riscos envolve diferentes departamentos, e contempla uma série de políticas e estratégias de alocação de recursos consideradas adequadas pela Administração.
    As políticas e estratégias são acompanhadas pelo Comitê de Auditoria que foi criado e instalado em 26 de março de 2010, por determinação do Conselho de Administração, em conformidade com o Estatuto Social da Companhia.

Riscos relacionados à companhia e ao setor de planos odontológicos

  • Os resultados das nossas operações poderão ser adversamente afetados se não conseguirmos estimar ou controlar precisamente os custos de assistência odontológica ou se não pudermos aumentar as mensalidades para compensar os aumentos dos nossos custos.
  • O aumento da nossa reserva destinada ao pagamento de indenizações poderá afetar negativamente os nossos resultados operacionais. Uma redução significativa do número de clientes e/ou associados em nossos planos odontológicos poderia afetar negativamente nossa situação financeira e os nossos resultados operacionais.
  • Enfrentamos concorrência significativa em um mercado fragmentado, tanto com os nossos concorrentes atuais quanto com os novos concorrentes que possam vir a explorar este setor, o que poderia afetar adversamente a nossa participação de mercado, a nossa situação financeira e os nossos resultados operacionais.
  • Não temos acordos exclusivos com os nossos agentes e corretores e não podemos garantir que conseguiremos manter tais serviços a preços competitivos.
  • Poderemos não ser capazes de executar inteiramente a nossa estratégia de negócios.
  • Poderemos não ser capazes de reter os membros da nossa alta administração e empregados qualificados.
  • Poderemos não ter capacidade para integrar as operações das empresas adquiridas às nossas operações e alcançar os benefícios esperados dessas aquisições.
  • Poderemos não conseguir renegociar contratos em condições tão ou mais favoráveis com os nossos clientes de grande porte, que representam um percentual significativo de nossa receita operacional bruta.
  • Nossas futuras aquisições podem sofrer restrições ou podem não ser aprovadas pelo CADE ou pela ANS, o que pode causar atrasos ou despesas inesperadas, podendo ainda afetar de maneira adversa os nossos resultados operacionais.
  • Nossas operações podem vir a ser afetadas negativamente por novas regulamentações governamentais, inclusive regulamentações que estabeleçam um sistema de assistência odontológica subsidiado pelo Governo Federal.
  • Podemos ser afetados de forma adversa por sentenças desfavoráveis em processos judiciais ou administrativos, incluindo litígios relacionados à nossa responsabilidade civil profissional.
  • Interrupções na operação de nosso escritório central ou de nossos sistemas de computadores localizados no nosso escritório poderão ter um efeito adverso relevante em nossas operações e condição financeira.

Riscos relacionados ao Brasil

  • O Governo Federal exerce influência significativa sobre a economia brasileira. Essa influência, bem como a conjuntura econômica e a política brasileira, poderá vir a causar um efeito adverso relevante nas nossas atividades e no preço de mercado das ações ordinárias de nossa emissão.
  • A inflação e as medidas governamentais para combatê-la poderão contribuir para a incerteza econômica no Brasil, na nossa condição financeira, nos nossos resultados operacionais ou afetar adversamente o preço das nossas ações ordinárias.
  • Eventos políticos, econômicos e sociais e a percepção de riscos em outros países, sobretudo de economias emergentes, podem afetar adversamente a economia brasileira, nossos negócios e o valor de mercado dos valores mobiliários brasileiros, incluindo as ações ordinárias de nossa emissão, além de poder limitar nosso acesso aos mercados internacionais.
  • Mudanças na legislação tributária brasileira e na regulamentação de órgãos governamentais relativos à proteção do ambiente da saúde humana e segurança podem vir a afetar negativamente a nossa receita operacional.
  • A volatilidade nas taxas de câmbio do real em relação ao dólar poderá afetar adversamente a economia brasileira e o preço de mercado das ações de nossa emissão.
  • Os acionistas titulares das nossas ações ordinárias poderão não receber dividendos ou juros sobre o capital próprio.
  • Futuras aquisições poderão vir a afetar negativamente o preço das ações ordinárias de nossa emissão.
  • Poderemos vir a precisar de capital adicional no futuro, por meio da emissão de valores mobiliários, o que poderá resultar em uma diluição da participação do investidor no nosso capital social.
  • Após a Oferta, poderemos não ter mais um acionista Controlador ou Grupo de Controle titular de mais que 50% do nosso capital votante, o que poderá nos deixar suscetíveis a alianças entre acionistas, conflitos entre acionistas e outras situações semelhantes.
  • O nosso Estatuto Social contém disposição que pode desencorajar operações de aquisição das nossas ações, impedir ou postergar transações às quais os investidores sejam favoráveis.

Última atualização em 29 de Novembro de 2016